Apontamentos para a História dos índios no Brasil (séculos XVI-XVIII):

Apontamentos para a História dos índios no Brasil (séculos XVI-XVIII):


Proponente: prof. Paulo Henrique Marques de Queiroz Guedes;

Instituição de vínculo: Instituto Federal da Paraíba (IFPB) – Campus Cabedelo;

Palavras-chave: história indígena; conquista colonial; América portuguesa;

tempo de duração: 2(duas) horas.


Neste minicurso, propomos discutir aspectos gerais sobre a história dos índios no Brasil, no período colonial. Assim, enfatizaremos aspectos culturais dos povos indígenas brasileiros, bem como o processo de conquista colonial, com ênfase nos contatos interétnicos entre índios e luso-brasileiros, em um período que compreende os séculos XVI ao XVIII. Dito com outras palavras, nosso principal objetivo será (re)avaliar a atuação de índios e colonizadores no processo de des(re)territorialização da América portuguesa, no decorrer de sua conquista colonial. Priorizamos destacar a influência dos índios na conquista luso-brasileira, enfatizando suas estratégias de resistência, bem como seu processo inserção ao universo colonial. Desta maneira, buscamos matizar a dicotomia colonizador versus colonizado (os primeiros impondo e os outros, invariavelmente, resistindo à invasão), uma vez que entendemos que esta relação não pode ser vista como um dado, mas muitas vezes como uma construção político-historiográfica. Discutiremos que o papel dos índios na conquista da América portuguesa e os contatos interculturais destes com os conquistadores, constituíram uma realidade fluida e diversificada de assimilação, resistência e transformações constantes, ante a ordem luso-brasileira que se impunha naquele território. Ainda neste tocante, apresentaremos as principais situações de contato entre índios e luso-brasileiros, partindo do pressuposto de que estes contatos variaram de acordo com as estratégias adotadas pelos vários grupos indígenas ante os agentes colonizadores. De resistência armada ao avanço colonial à aliança militar firmada entre índios e colonizadores, passando pelos aldeamentos indígenas, foram várias as situações de contato interétnico na conquista colonial do Brasil. Resumindo, observaremos que na conquista colonial da América portuguesa, como um todo, houve um emaranhado de interesses dos diversos agentes (moradores, paulistas, missionários e autoridades) e de estratégias por parte dos diversos grupos indígenas que transformam este processo em algo difícil de classificar apenas pela avidez desenfreada por parte dos luso-brasileiros por terra e escravos índios, como também, no sentido oposto, pela resistência incondicional e armada dos índios.