Convivência Familiar na Pandemia

A pandemia do coronavírus veio a impactar várias famílias brasileiras, alterando a dinâmica das famílias e em muitos casos se adequando em uma convivência regulamentada. Com o agravamento dos risco da covid, passou a surgir conflitos que questionam o convívio familiar dos pais e seus filhos.Em diversas situações verifica-se confrontos de interesses entre os pais, de um lado um que acredita que o isolamento social representa a opção mais acertada para os filhos e pretende a suspensão do regime de visitas, enquanto o outro compreende o distanciamento como algo totalmente negativo do ponto de vista emocional, psicológico e afetivo para sua prole. Nesse contexto, com a pandemia no Brasil, o conselho Nacional da criança e do adolescente, com o Ministério dos Direitos Humanos e outros do governo federal recomendaram em razão a pandemia, entre o filho e seu genitor que não resida com ele, poderia substituir por chamadas telefônicas ou online. O direito de convivência é também uma oportunidade para manifestar a sua efetividade para a criança.


(A Conciliação da quarentena na convivência familiar)




( “Tia, você tá instalando alguma coisa? A internet ficou muito lenta!” “Mãe, a senhora esqueceu de carregar o celular? Eu tenho aula de francês...” “Façam silêncio, papai vai entrar em uma reunião do serviço...” “No notebook, pai? E minha aula da escola?” “Alguém pode tirar o Hamster daqui? Estou em uma ligação da empresa!”)


Com certeza você já ouviu ou mesmo falou essas frases e principalmente na quarentena da pandemia atual com a convivência familiar, essas situações de fato não são tão legais mas com base nela pode-se tirar grandes exemplos de formas de como se relacionar com os familiares.

Analisando o isolamento domiciliar causado pela pandemia do novo coronavírus que afeta o dia a dia de toda a população mundial tem adultos trabalhando diretamente de casa, estudantes aprendendo de casa e por aí vai…

Logo de primeira um desafio enorme para milhares de famílias que de repente tiveram que se conformar com a atual realidade, conciliando rotina dentro de casa com trabalhos, educar os filhos com um bom relacionamento de moradia, isso tudo é uma questão de equilíbrio e paciência. até porque ninguém disse que seria fácil (ainda mais diante de uma situação caótica global no qual estamos vivendo).


Ronaldy Régis Galberto Da Silva-1MA

Lara Yasmin Coelho Souto-1MA

Joyce Santos Barbosa-1MA

Maria Juliana dos Santos Leandro-1MA

Franciellen Viera da Silva-1MA


0CC8210A-2B99-45F8-BA4C-F3F064D0C591.pdf