Biologia e Conservação de Tartarugas Marinhas

ods 14

NOME DO PROJETO: Biologia e Conservação de Tartarugas Marinhas

INTEGRANTES: Thallys Araújo

ORIENTADOR: Fernanda Paiva

RESUMO DO PROJETO

Atualmente, existem sete espécies de tartarugas marinhas no planeta, cinco delas com ocorrência no Brasil. São divididas em duas famílias e seis gêneros. Todas as espécies encontradas nos mares brasileiros, estão categorizadas como ameaçadas pela IUCN, pelo reflexo da drástica exploração que ocorreu no passado e das pressões ambientais que permanecem até hoje, de causa natural ou antrópica. Muito além de sua função ecológica no fluxo energético e na manutenção na dinâmica dos ecossistemas, as tartarugas marinhas têm ganhado na últimas décadas, importância adicional como um símbolo valioso para a conservação. As tartarugas tem um papel fundamental para os oceanos, seja como alimento para animais, ou como controladoras de algas, esponjas e águas-vivas. No Brasil, associações como o Tamar, Guajiru, Biota, Ecoassociados, Tartarugas do Delta e muitos outros membros da RETAMANE (Rede de conservação de tartarugas marinhas do Nordeste) trabalham efetivamente na preservação das espécies, seja em campo ou com educação ambiental para a população. Diferentemente dos outros quelônios, as tartarugas são animais extremamente aquáticos, onde a saída ao mar se dá apenas as fêmeas para as desovas, e aos filhotes ao nascerem. Faz parte das mais antigas linhagens de répteis, e são animais evolutivamente adaptados ao ambiente marinho, possuem glândulas salinas onde se faz o controle da quantidade de sal para o corpo do animal, possui nadadeiras ao invés de patas, e uma carapaça extremamente hidrodinâmica.

Palavras-chave: Tartarugas Marinhas; Conservação; Educação Ambiental.

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

OBS:

Para uma melhor visualização, amplie a imagem (Zoom In);

Se estiver pelo smartphone, pressione e segure a imagem e abra ela em uma nova guia. Desta forma, é possível ampliar.