FORMAS DE MINIMIZAR OS EFEITOS DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS

ODS 13

NOME DO PROJETO: Formas de Minimizar os Efeitos das Mudanças Climáticas

INTEGRANTES: Camilly Victória, Jonathas Guilherme, José Girlândio, Railson Fernandes, Sofia Leal

ORIENTADORA: Analia Adriana

RESUMO DO PROJETO

A Organização das nações Unidas (ONU) junto com os 193 Estados-membros, no ano de 2015, apresentou a agenda 2030, um plano de metas voltados para o desenvolvimento sustentável do planeta. Sendo assim, foram apresentados 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e mais 169 metas, que buscam erradicar a pobreza, visando o bem-estar pessoal, seguindo os limites do planeta. Segundo a World Wide Fund for Nature (WWF), desde a Revolução industrial o ser humano passou a emitir grandes quantidades de gases do efeito estufa (GEE), principalmente o dióxido de carbono, tais gases são os principais responsáveis pelas alterações climáticas. Visando isso, o 13° plano de desenvolvimento - Ação contra a mudança global do clima - busca alertar sobre os seus efeitos e apresentar formas de minimizar tal situação. Em primeiro plano, é preciso entender que o aquecimento global e o efeito estufa tangenciam a mesma problemática, as emissões de gases poluentes. Dessa forma, segundo a ONU e outros organismos internacionais de estudos ambientais, a desenfreada e contínua liberação desses gases, advindos prioritariamente da queima de combustíveis fósseis, vem se acumulando na atmosfera, e por consequência, elevando a temperatura do planeta. Prova disso é que, no período que corresponde a Revolução Industrial, a concentração original dos GEE’s, era de 280 ppm4, nos dias atuais, esse quantitativo cresceu para 400 ppm5. Por consequência, podemos observar os impactos das alterações climáticas. Segundo um relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), a terra pode vivenciar, nos próximos anos, os seus piores desastres naturais. O documento mostra que entre os anos de 1880 a 2012 houve um aumento na temperatura de 0,85°C, entretanto afirmam que, no melhor cenário, até 2100 possa chegar entre 0,3°C e 1,7°C, e se não ocorrer o controle dos GEE’s poderia elevar em até 4,8°C. Desse modo, tais alterações podem implicar em ondas de calor, aumento no nível do mar - ocorreu um aumento de 19 centímetros entre 1901 e 2010 - e até no crescimento das atividades de ciclones tropicais - as superfícies do oceano elevou em 0,11 oC por década entre 1971 e 2010. Portanto, é preciso que haja a redução do consumo de produtos poluentes, o que evitaria a contaminação de lagos e rios na sua região. Por outro lado, as escolas devem realizar campanhas contra as queimadas com o intuito de conscientizar seus alunos sobre os riscos do desmatamento. Em âmbito governamental, é recomendável que a prefeitura oferte a coleta seletiva para que ocorra a reciclagem e o combate ao efeito estufa. Tais recomendações estão dispostas nas ações locais da ODS apresentada pela Organização das Nações Unidas. Para se concretizarem, essas medidas devem ser estabelecidas através de políticas nacionais e internacionais de clima. Visando propalar tais medidas, buscamos desenvolver um infográfico - que tem como objetivo apresentar de forma clara, objetiva e visual conteúdos que possam ser complexos - exemplificando as consequências das alterações climáticas e como alguns setores da sociedade podem atenuá-las. Após pesquisar o conteúdo, em discussão, buscamos exemplos e, em seguida, partimos para a execução do projeto com os princípios das visualizações dos dados. Tivemos como objetivo exemplificar as informações de forma direta, para de fato alcançarmos a proposta do 13° plano de desenvolvimento e efetivamente minimizar os impactos da mudança global do clima.

Palavras-Chave: Clima; Conscientização; Infográfico; Efeitos.

OBS:

Para uma melhor visualização, amplie a imagem (Zoom In);

Se estiver pelo smartphone, pressione e segure a imagem e abra ela em uma nova guia. Desta forma, é possível ampliar.